quinta-feira, 5 de abril de 2007

Quem na verdade somos?



Eu sei quem eu sou.
Alíás, só eu sei quem eu sou.

É interessante ver como as pessoas tentam dizer o que somos, o que pensamos e o que fazemos.

"Aquele é emo, aquele é roqueiro, outro pagodeiro..."

Todos precisam de uma identidade, algo que faça você ser alguma coisa para mostrar para algúem. É um conflito constante entre o "eu" com o "eu mesmo" que sempre busca o "quem eu sou".

E como é difícil ser alguém! Sempre há quem diga coisas que você não é, coisas que você naõ faz. E essas mesmas pessoas que dizem essas coisas, dizem com tanta propriedade e tanta convicção que se esquecem que são formadoras de opinião e não se dão conta da responsabilidade, ou irresponsabilidade, do que dizem.

Tudo bem, todos tem o direito de pensarem o que quiserem de todo mundo. O problema é quando se esquece a grande influência que a palavra tem em outras cabeças. E essa influência pode ser equivocada.

É difícil ser. É difícil construir um caráter, uma personalidade. Um trabalho penoso, gloriosamente realizado com muita competência por meus pais.

No entanto, destruir uma imagem é fácil, basta apenas algumas palavras, equivocadas ou propositais. E assim se destrói uma Imagem.

Mas a minha imagem, não é o meu caráter. Ninguém sabe quem eu sou verdadeiramente. Nem quem pensa que sabe. Mas Ele sabe.

Uma coisa eu sei: eu não sou uma vitrine.

Não ando "bem vestido", não uso os "melhores perfumes", não falo como "uma pessoa normal".
A grande massa obsecada pelo senso comum que me observa, cria conceitos, imagens, fantasias, estórias, mentiras...



Finalmente, não agrado mais homem nenhum. Não me preocupo: "Vão gostar desta roupa, deste sapato"

Como eu posso sair por aí pregando e liberdade se ainda estiver preso nas mesquinharias do mundo. Como posso dizer para que algúem se sinta à vontade perto de mim se o personagem que vesti até agora constrange os que estão à vontade. Eu acredito que um Rei, com seu manto de Rei, constrange os seu súditos, pobres, mal vestidos e sujos.



Então, por que subir no puleiro da soberba. Isso somente o afastará das pessoas. E o pior, de Deus. Cristo com sua imensa misericórdia veio ao mundo pobre. Andava com os pobres, andava com ladrões, prostitutas, enfim, com a escória da sociedade da época.

Jesus não era como eles, mas andava com eles.

Por falar a língua deles, se vestir da mesma forma que eles, andar como e com eles, quebrantou aqueles corações e a maoria acreditou e foi salva.



Quer um conselho?

Desça do puleiro!
Liberte-se da imagem comum que todos esperam de você, e surpreenda como sua espontâneidade!


Com certeza, você dará muito mais frutos, você será livre.

Não importa a marca que você usa, e sim a marca que você deixa.

Busque essa liberdade. Faça essa experiência. Seja como uma criança, brinque, cante, dançe.

Assim terá Vida!
Muita Vida!




E não se esqueça de uma coisa importante, não tente descobrir quem eu sou, você pode se enganar. E quando sua opinião influencia outras opiniões, a semente da discórdia pode germinar, afetando muita gente, até que você perceba que foi tudo um engano.


Se você não sabe quem eu sou, não se preocupe.


Deus sabe quem eu sou e o que tem dentro do meu coração.

Eu também sei, e isso é o que importa...



Agradeço a preocupação.

Editado em 23 de abril 2007

PS.:

Chego a conclusão que é importante sim preocupar-se...
Viver sem se preocupar com o que pensam é um tremendo egoísmo...
Às vezes passamos por cima de pessoas que amamos sem perceber, pessoas essas que nos amam de verdade.
ME PERDOE O EGOCENTRISMO...


Daniel

2 comentários:

RACHEL disse...

REALMENTE CADA VEZ MAIS NÃO SEI QUEM VC É...

PODE NÃO TE PREOCUPAR...
MAS ME PREOCUPA...

Karine disse...

OOiiiiiieeeee

Mt lindo o seu blogger viu!!!!
mt criativo tbm!!! ^^

Lindaas as fotus....e hilaria a com o dedo no nariz....huahauu

mt comedia.....

bjinhus meu kerido!!!

e ateh!!! =*